gillemos

O que há de tão especial na XIAOMI?

AXiaomi é uma empresa chinesa de produtos eletrônicos com sede em Pequim, na China. Hoje já é a terceira maior distribuidora de smartphones do mundo, que projeta, desenvolve e vende seus próprios smartphones, além de aplicativos móveis e outros equipamentos.

Seu sistema operacional batizado de MIUI roda sobre a plataforma Android e já fazia sucesso em vários smartphones via Roms mesmo antes do lançamento do primeiro celular da companhia.

Smartphones da marca tem ganhado cada vez mais espaço no mercado mundial pois suas configurações parrudas não refletem no preço. Ou seja, você pode ter um celular top de linha pelo preço de um aparelho mediano.

Já foi o tempo em que aparelhos chineses eram vistos como de baixa qualidade. Hoje a china produz smartphones tão bons quanto marcas mais famosas como Samsung e Apple.

O problema começa principalmente em relação as rede wifi nas quais, no Brasil, os aparelhos XIAOMI não são compatíveis com algumas bandas utilizadas no pais o que pode provocar instabilidade na conexão ou mesmo a falta dela.

Para se ter uma ideia, a frequência 4G mais utilizado no Brasil é a banda 28(B28 = 700Mhz), essa frequência é a de maior alcance e a que melhor penetra nas paredes. Contudo, muitos celulares da empresa não são compatíveis, justo com essa frequência.

Mas nem tudo está perdido alguns aparelhos são compatíveis com a B28 como por exemplo o Redmi Note 6 Pro e o Mi9. Mas fique atento ao comprar um aparelho importado independente da marca pois, como dizia minha vozinha. As vezes o barato sai caro.

Contudo se tirarmos o problema do Wifi, que pode ser evitado ao consultar a compatibilidade de cada aparelho, os smartphones XIAOMI são muito bons. Além de elegantes, câmeras, espaço de armazenamento, memoria, e S.O são realmente bastante interessantes.

Fontes

https://canaltech.com.br/empresa/xiaomi/

https://canaltech.com.br/smartphone/xiaomi-no-br-vantagens-e-desvantagens-de-usar-smartphones-da-chinesa-por-aqui-136245/

https://olhardigital.com.br/noticia/entenda-o-principal-problema-de-usar-celulares-xiaomi-no-brasil/84179

Ter, parecer e Mostrar

A alguns dias, ouvi em uma rádio católica, um padre falar sobre a maneira como pessoas tem buscado o auto reconhecimento.

Isso elucidou muitas de minhas dúvidas sobre o aumento das doenças psíquicas , principalmente depressão.

O religioso, falou sobre três mudanças significativas que ocorreram nas últimas décadas e podem ser descritas da seguinte forma:

Antes da internet, as mídias estavam restritas a impressos, TV e Rádio. O reconhecimento vinha do “Ter” aquele que mais possuía era visto como “bem sucedido”. Isso se refletia nos programas de Tv e Novelas.

Quando a internet surgiu em 1969 e se popularização em 1995, o mundo ficou atônito  com a possibilidade de acesso a conhecimento de maneira rápida e simples, tecnologia antes exclusiva do exército e de algumas universidades e centros de pesquisa, estavam a disposição de todos, e em pouco tempo a necessidade de “parecer” subjugou a de “ter” essa “necessidade” começou a surgir junto com as primeiras redes sociais.

Foi então que em fevereiro de 2004 surge o Facebook e as redes sociais explodiram no planeta, junto com blogs diversos que atiçaram ainda mais o consumo.

Fotos que circulavam na rede mostravam uma realidade de um “universo paralelo” onde sorrisos, riqueza e prosperidade sempre estavam presente na vida de todos.

Utopia bem cara, pois esse início da ostentação virtual também foi o começo do penhasco para muitos que buscavam parecer o que não eram, e ter o que não poderiam sustentar.

Muitas pessoas tinham bons carros mas não uma casa, roupas de marca mas não uma dispensa cheia. Em vez disso, passaram a acumular dívidas que aos poucos  as trouxeram ao mundo real.

A necessidade do “parecer” se tornou um problema endêmico, e agora mudou a sua perspectiva até chegarmos à atualidade onde está ainda pior pois, já não basta “parecer” agora é preciso “mostrar que tem” através da superexposição.

Assim, uma enxurrada de likes, memes, celebridades relâmpago invadiram nossas vidas e deixaram os meios tradicionais de mídia para trás.

O grande problema nessa nova tendência é que para se manter perto dos holofotes muitas pessoas foram longe demais.

Vislumbradas com a possibilidade de serem reconhecidas e até de realmente ganharem o status de celebridade e lucrarem com isso, muita loucura foi feita. De escândalos, a cirurgias bizarras para mudar o corpo e estar na mídia.

O pior é que muitas vezes, nada disso dá certo, aí vem a frustração e com ela as supracitadas endemias de nossa atual história: Depressão, Stress e Ansiedade.

Gil Lemos

De quem é a culpa?

O mundo está chato. E pior, está cada dia menos educado.

Será que isso está gerando um caos social que pode nos levar novamente a idade das trevas?

Talvez! Vamos analisar algumas situações.

No trânsito todos estão com pressa e por isso barbaridades são presenciadas a cada instante, como invasão de sinais, ultrapassagens pelo lado errado, e brigas que muitas vezes acabam com o pior resultado possível.

Nas escolas professores tentam educar uma geração de crianças e jovens que são endeusados pelos pais que “estragam os filhos na melhor das intenções”. Crianças que mesmo quando estão erradas recebem apoio da família. Pais vão ao colégio reclamar com coordenadores e mestres, dando respaldo ao erro dos filhos.

Em um mundo onde qualquer ideia parece agressiva. Tudo se tornou racismo, homofobia, desrespeito, misoginia.

Todos querem ter razão e a mínima discordância em determinado assunto faz familiares e amigos muito próximos se tornarem inimigos ou, no mínimo, se bloquearem nas redes sociais.

Estamos nos tornando animais? Infelizmente não pois, em muitos momentos confio mais no meu Pet do que em outra pessoa próxima.

Precisamos rever nossos conceitos.

Deixar fluir, não criar expectativas, ter paciência e amor. Vamos amar uns aos outros em vez de amarmos apenas o que acreditamos.

Todos têm direito de ter uma opinião diferente da nossa, e isso não torna o outro melhor ou pior que você. Mostra apenas que somos diferentes e essa diversidade é um dos maiores tesouros da humanidade.

Gil Lemos

Mude de vida com a ajuda de seu próprio peso!

Esmagados pela pressão e correria que a sociedade nos impõe, somos cada vez mais suscetíveis a doenças cardiorrespiratórias e psíquicas;

É necessário ter atitude e buscar a mudança, pois, ela virá para o bem ou para o mal. Ou você se projeta a um futuro mais saudável ou espera o médico dar o temido veredito
“Ou você muda ou morre!”

Não busque desculpas e sim soluções! Exercícios que você pode fazer em qualquer lugar oferecem boa queima calórica e lapidação da musculatura.

Temos um projeto, no qual eu sou a cobaia onde busco emagrecer através de mudanças graduais e simples. Não está fácil, mas o objetivo é continuar e tudo isso sem deixar de ter o prazer de tomar aquela cervejinha e o bom e velho churrasco.
Acompanhe o projeto #queimandoapicanha

Usados pelas forças armadas e por ginastas, a Calistenia usa o próprio peso do corpo como base para as atividades físicas.

Exercícios como burpee e prancha  queimam a gordura e modelam o corpo. Mas são apenas os mais conhecidos dentre outros tantos que em conjunto e com muita força de vontade podem transformar seu corpo e sua vida.

Veja mais em nosso canal do YouTube https://www.youtube.com/c/gillemosDELASCAR

Abaixo link para uma Tabela interativa, na qual você clica na imagem e o exercício é exibido

http://strength.stack52.com/periodic-table-of-bodyweight-exercises/

 

Referencias
https://www.elhombre.com.br/84-exercicios-para-fazer-somente-com-o-peso-corporal/
http://www.thiagoarias.com.br/os-30-melhores-exercicios-utilizando-peso-corporal/
https://horadotreino.com.br/treinando-bodyweight/
https://horadotreino.com.br/exercicio-burpee/
https://www.minhavida.com.br/fitness/materias/17887-calistenia-utiliza-o-proprio-corpo-como-peso
https://www.mundoboaforma.com.br/7-exercicios-para-prancha-abdominal/

Resumos não formam pensadores

A algum tempo, está na moda falar sobre pensamentos filosóficos. Mas podemos entender seus pensamentos sem ler suas obras? Discutir através de discursões de terceiros não darão a você o pensamento completo e cru sobre cada figura que marca o pensamento.

Marxismo, liberalismo, Platão, Weber, Maquiavel, Confúcio, Sun Tsu, dentre outros são definidos como Filósofos, sociólogos, psicólogos, estrategistas, enfim pensadores.

Mas de que é feito um pensador? Principalmente de críticas. Questionamentos sobre afirmações que outros enfatizam que sejam a verdade.

É preciso saber pensar! Aprender a questionar e analisar os fatos de maneira ampla. Abstrair-se do problema para enxergar a melhor solução, ou apenas compreender que aquela situação é necessária naquele momento para avançar.

Leitura é fundamental para que alguém desenvolva uma visão crítica, mas é importante não ser seletivo demais e não buscar o caminho mais fácil.

Ler apenas o que se gosta, ou apenas resumos, não te trará o conhecimento necessário para ser um bom profissional ou uma pessoa com uma visão crítica do mundo. Você pode até se tornar um bom conhecedor de quadrinhos, ficção científica, culinária ou outra área de seu interesse.

Mas o conhecimento de mundo depende da leitura de história. Pensadores, personagens, pessoas que fizeram algo tão extraordinário que gravaram seus nomes para sempre na vida de várias gerações.

Faça a diferença onde quer que você foque sua atenção! Seja no trabalho, em casa, ou mesmo na rua. Você é um ser único que deve se reconhecer como tal!

Por isso, seja um pensador, busque evolução. Transforme-se! E assim, o ambiente em sua volta poderá virar do avesso.

 

Gil Lemos

Ter acesso a mais conteúdo não te deixa mais inteligente!

Assim como diversos instrumentos musicais não fazem de alguém um músico, é ilusão achar que acesso a conteúdo torna alguém mais culto. Quantidade não significa qualidade, e isso é um fato!

Por mais que a internet disponibilize infinitas possibilidades de informação, a qualidade do que você lê e seu foco é que darão a você mais conhecimento ou ignorância.

Nunca se escreveu tão errado. Muitos jovens escrevem no dia a dia como em redes sociais, sem se preocupar com a formalidade ou pontuação;

Porém, nem tudo está perdido. O jovem também tem lido e escrito mais. Mesmo que os erros de português sejam frequentes, o interesse pela leitura é um dos pontos positivos causados pelo uso da internet.

Muitos já separam o “internetês” do português e isso é um avanço. Mas os educadores têm um enorme desafio pela frente. Trazer o prazer do virtual para a realidade das escolas, esse paradigma torna urgente a necessidade da educação mais digital.

Falar a linguagem do jovem é fundamental para guiá-lo.

O site https://desafiosdaeducacao.com.br/ tem conteúdo voltado a educação na era digital. Assim como existem materiais abundantes na internet falando sobre o tema.

É necessário mostrar ao jovem, sobretudo, que a internet vai além dos programas de mensagens instantâneas, redes sociais e chats games.

Ler é necessário! Para isso, existem formas diversas de imersão do indivíduo no mundo literário.

Seja com leitores digitais, livros grátis disponibilizados na internet, resumos em áudio que atiçam a curiosidade de ler a obra, ou mesmo o bom e velho livro. O importante é reconhecer que o conhecimento é o maior bem que podemos ter.

Seja em bytes ou em papel, a leitura tem o poder de fazer com que o indivíduo tenha mais senso crítico. E isso é uma necessidade não apenas da sociedade como um todo, mas é talento garimpado, como ouro, no mercado de trabalho.

Gil Lemos

 

 

Referencias
——————————————————————————

https://desafiosdaeducacao.com.br/

https://www.estadao.com.br/noticias/geral,linguagem-de-internet-preocupa-educadores-imp-,598839

https://www.tecmundo.com.br/twitter/2467-como-esta-o-seu-internetes-conheca-a-linguagem-utilizada-no-mundo-online.htm

https://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,iniciacao-cientifica-estimula-senso-critico-e-pode-ajudar-na-carreira,1752494

https://epocanegocios.globo.com/Carreira/noticia/2018/04/o-futuro-do-trabalho-talento-ainda-sera-melhor-alavanca-de-desempenho-das-empresas.html

A perigosa tendência do corpo perfeito!

No mundo em que a aparência parece valer cada vez mais, o risco é grande. Pois, para ter a aceitação da sociedade e a própria, pessoas recorrem a tratamentos estéticos agressivos, dietas malucas para atingir a felicidade, e outras bizarrices que colocam sua vida em risco.

A magreza, a pele clara, olhos azuis ou verdes, aparência de bonecos, músculos salientes, seios fartos, grande bumbum, critérios perigosos para mudar no próprio corpo.

No noticiário fica evidente o risco. Mortes, e mutilações são notícias frequentes, ocorrem após tratamentos estéticos inadequados ou por injeções de produtos não autorizados e até voltados para tratamentos de animais.

Na sociedade superficial em que vivemos a cobrança por perfeição tem se tornado comum. Com a real dificuldade de saber quem é quem, principalmente devido as caracterizações planejadas nas redes sociais, muitos buscam apenas o que os olhos conseguem enxergar, o padrão de beleza imposto pelas comerciais de TV e desfiles de moda.

Na busca de uma solução para tanta loucura, a espiritualidade aparece como alternativa. Religião, religiosidade, espiritualidade, meditação são itens colocados do outro lado da balança para quem deseja o equilíbrio.

A batalha é grande, corpo vs espírito, mercado vs bem-estar, depressão vs felicidade. Independente das necessidades de cada indivíduo humano, tudo se resume em uma passagem bíblica, Marcos 12:31, que diz “Ama o próximo como a ti mesmo”. Contudo, mesmo aqui há um paradoxo fundamental. E quem não se ama? Está fora da equação?

Não! Não está fora. Apenas está perdido, não sabe o que quer, pois corrompeu seu espírito diante das cobranças impostas. Se não foi amada o suficiente, ou passou por situações traumáticas na sua infância, problemas com drogas na família, ou adversidades graves.  Essa pessoa não pode dar aquilo que não tem.

Por isso é importante que enxerguemos adiante, precisamos ver além dos avatares. Pessoas estão morrendo e matando por não conseguirem se encaixar no sistema. Sejamos mais “humanos” no melhor sentido da palavra. De nada adianta um corpo perfeito se o preconceito, raiva, intolerância e demagogia, é o que realmente define essa superficialidade toda.

 Gil Lemos

%d blogueiros gostam disto: