Ter, parecer e Mostrar

A alguns dias, ouvi em uma rádio católica, um padre falar sobre a maneira como pessoas tem buscado o auto reconhecimento.

Isso elucidou muitas de minhas dúvidas sobre o aumento das doenças psíquicas , principalmente depressão.

O religioso, falou sobre três mudanças significativas que ocorreram nas últimas décadas e podem ser descritas da seguinte forma:

Antes da internet, as mídias estavam restritas a impressos, TV e Rádio. O reconhecimento vinha do “Ter” aquele que mais possuía era visto como “bem sucedido”. Isso se refletia nos programas de Tv e Novelas.

Quando a internet surgiu em 1969 e se popularização em 1995, o mundo ficou atônito  com a possibilidade de acesso a conhecimento de maneira rápida e simples, tecnologia antes exclusiva do exército e de algumas universidades e centros de pesquisa, estavam a disposição de todos, e em pouco tempo a necessidade de “parecer” subjugou a de “ter” essa “necessidade” começou a surgir junto com as primeiras redes sociais.

Foi então que em fevereiro de 2004 surge o Facebook e as redes sociais explodiram no planeta, junto com blogs diversos que atiçaram ainda mais o consumo.

Fotos que circulavam na rede mostravam uma realidade de um “universo paralelo” onde sorrisos, riqueza e prosperidade sempre estavam presente na vida de todos.

Utopia bem cara, pois esse início da ostentação virtual também foi o começo do penhasco para muitos que buscavam parecer o que não eram, e ter o que não poderiam sustentar.

Muitas pessoas tinham bons carros mas não uma casa, roupas de marca mas não uma dispensa cheia. Em vez disso, passaram a acumular dívidas que aos poucos  as trouxeram ao mundo real.

A necessidade do “parecer” se tornou um problema endêmico, e agora mudou a sua perspectiva até chegarmos à atualidade onde está ainda pior pois, já não basta “parecer” agora é preciso “mostrar que tem” através da superexposição.

Assim, uma enxurrada de likes, memes, celebridades relâmpago invadiram nossas vidas e deixaram os meios tradicionais de mídia para trás.

O grande problema nessa nova tendência é que para se manter perto dos holofotes muitas pessoas foram longe demais.

Vislumbradas com a possibilidade de serem reconhecidas e até de realmente ganharem o status de celebridade e lucrarem com isso, muita loucura foi feita. De escândalos, a cirurgias bizarras para mudar o corpo e estar na mídia.

O pior é que muitas vezes, nada disso dá certo, aí vem a frustração e com ela as supracitadas endemias de nossa atual história: Depressão, Stress e Ansiedade.

Gil Lemos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: